sábado, 15 de setembro de 2012

Tortura Voluntária

Sabe a expressão: "Quem procura, acha"? Então, é mais ou menos por aí mesmo. 

Acho que eu tô é procurando confusão. Quem está complicando as coisas na verdade sou eu. Digo complicando, porque tô fantasiando uma parada que eu sei desde o início que não existe, não tem como dar certo. Fico pensando em tudo de melhor que eu tenho pra oferecer, inclusive os meus defeitos...por que não? Todo mundo tem os seus. Tenho tanta coisa boa pra compartilhar, mas não posso. Não dá tempo de mostrar como eu posso fazer a diferença.  É a vida nos pregando peças, e fazendo a gente conhecer as pessoas certas na hora errada.

Tipo...eu sei o que eu tenho que fazer, mas, não é tão simples assim: -"Vai, faz e pronto". Porque no meio disso tudo, mesmo com todos os sinais e avisos de que a coisa toda não tinha como dar certo, cometi a estupidez de me apaixonar. Daí...fico aqui me imaginando num lugar que não é meu e que eu nunca vou ocupá-lo, sentindo ciúmes sem ter o direito de sentir, que dirá demonstrar. Fico de fora, só observando, sem poder fazer nada, sem abrir a boca...só me sufocando, engolindo tudo à seco. E isso é tortura voluntária...eu mesma procuro isso, e, como eu disse no começo: "Quem procura, acha!"

Enfim...que merda!

Um comentário:

Pedro Grandi O Catador disse...

.. sei como é isso, tenho a mesma facilidade. Agora sigo o conselho de Chico "Chego a mudar de calçada quando aparece uma flôr e dou risada de um novo amor, mentiraaaa" ... C.B.